Utilitarismo
  • Etimologia: do latim utilitas, "utilidade", "vantagem"
  • Filosofia: doutrina representada nomeadamente pelos britânicos David Hume, Jeremy Bentham e John Stuart Mill, que se fundamenta na ideia de que o objectivo da sociedade deve ser o "maior bem-estar do maior número", ou seja, a soma dos prazeres de cada indivíduo.

O Objectivismo de Ayn Rand e o Naturalismo são formas modernas de Utilitarismo. Ver hedonismo, epicurismo, marginalismo, neoliberalismo, filistinismo.


A contradição do utilitarismo

Toda a doutrina utilitarista encontra-se condicionada por duas proposições antitéticas ou contraditórias entre si:

  • uma proposição positiva, que diz que os homens devem ser considerados como indivíduos egoístas, calculadores e racionais, e que tudo deve ser pensado e elaborado a partir do seu ponto de vista;
  • e uma proposição normativa, que afirma que os interesses dos indivíduos, a começar pelo meu próprio, devem ser subordinados e mesmo sacrificados à felicidade geral ou do "maior número".

Ou ainda: todo o utilitarismo mistura, em proporções infinitamente variáveis e dependente apenas da discricionariedade política das elites da sociedade, uma axiomática do interesse e uma axiomática sacrificialista, que é simultaneamente um encantamento pelo egoísmo e uma apologia do altruísmo, e tentativa de reconciliar um ponto de vista ferozmente individualista e uma vertente globalizada e holista.

(em actualização)

Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License