Teoria da conspiração

Teoria da conspiração

Uma teoria da conspiração é uma proposição ou discurso que acusa duas ou mais pessoas, um grupo, uma organização ou uma instituição, de ser a causa – esconsa, através de planos secretos e acção deliberada – de acções ilegais e/ou danosas para a sociedade em geral.


Por exemplo: afirmar que existe o Grupo de Bilderberg ¿será teoria da conspiração? Não é teoria da conspiração, porque para além das notícias nos jornais que revelam a sua existência, há imagens dos protagonistas desse grupo que demonstram a sua existência real.

O que pode ser eventualmente teoria da conspiração é atribuir, sem prova, ao Grupo de Bilderberg a responsabilidade de acções ilegais e danosas para a sociedade.


A teoria da conspiração pretende encontrar um nexo causal entre factos do presente ou do passado através da especulação e manipulação arbitrária de eventos. Ou seja, a teoria da conspiração pretende criar, ou cria mesmo, um mito no sentido literal da palavra – um mito com uma estrutura semelhante aos mitos da Antiguidade.

Com o advento das religiões políticas na modernidade, os mitos tornaram-se predominantemente políticos (a metafísica moderna é reduzida à política), ao passo que os mitos da Antiguidade pretendiam explicar o surgimento do universo e só indirectamente tinham reflexo na política.

Portanto, uma teoria da conspiração é uma narrativa, é uma estória, que pretende explicar eventos ou acontecimentos sem qualquer documentação real e fidedigna que possa cientificamente explicá-los.

Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License