Templo de Jerusalém

Escavações recentes em Jerusalém mostram que já existia um templo mais antigo dedicado ao Sol, no lugar do templo de Salomão. Ou seja, o culto de Javé substituiu o culto do Sol, embora incorporando algumas ideias do culto anterior (mistura de cultos), nomeadamente a ligação existente, no Oriente Antigo, entre a ética, o Direito e o deus Sol, tradição que pode ter reforçado a ideia de Javé como “aquele que dá a lei”.

Segundo Othmar Keel, o templo de Jerusalém que Salomão não terá construído, provavelmente, mas apenas renovado e ampliado, poderia ter constituído principalmente um templo do Sol. Talvez também fossem veneradas outras actividades astrais, o deus do pôr-do-sol e o astro vespertino Shalem, cujo nome está incluído no nome da cidade (Jerushalem = “fundação de Shalem”), eventualmente também o deus da Lua (conforme Salmo 72,5).

A orientação leste-oeste do templo de Jerusalém e o facto de dois dos três fragmentos do cântico do antigo Livro de Cânticos1 , que chegaram aos nossos dias e são provenientes do século XI ou X a.C., parecem referir-se a conflitos entre Javé e o deus do Sol de Jerusalém ou divindades astrais, em geral, constituírem argumentos a favor da existência de um templo do Sol.


Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License