Negação do antecedente

Assemelha-se à forma válida modus tollens e comete-se quando se nega o antecedente em vez de se negar o consequente. Por isso se designa por falácia do modus tollens ou falácia da negação do antecedente.

Exemplo:

Se Luísa estudar muito, entrará na Universidade

Luísa não estudou muito

_

Logo, Luísa não entra na Universidade

Editado por Alda Martins


Aditamento por (OBraga)

Negação do Antecedente ou Non Sequitur

A implica B; A é falso; → (logo) B é falso.

  • Neste caso, chega-se à conclusão de que B é falso quando pode não ser.

Tabela de inferências

Premissa Conclusão Inferência
A B A => B
falso falso verdadeiro
falso verdadeiro verdadeiro
verdadeiro falso falso
verdadeiro verdadeiro verdadeiro

Se as premissas são falsas e a inferência é valida, a conclusão pode ser verdadeira ou falsa. Se as premissas são verdadeiras e a conclusão é falsa, a inferência é inválida. Se as premissas são verdadeiras e a inferência é válida, a conclusão tem que ser verdadeira. Se um argumento é válido e parte de premissas verdadeiras, a conclusão é verdadeira.


  • Não confundir a Negação do Antecedente com a falácia Non Causa Pro Causa, porque nesta última não existe qualquer relação entre A e B, enquanto que na Negação do Antecedente é apenas a inferência que é inválida.
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License