intuição

Podemos definir intuição como uma forma de conhecimento que põe, sem mediação, o espírito em presença do seu objecto.

A intuição pode ser:

  • empírica, que é aquela intuição que nos leva a conhecer, ao primeiro relance, o essencial ou mesmo a essência de um objecto;
  • racional, que é o conhecimento da evidência, seja de que natureza for (Descarte e/ou Kant);
  • bergsoniana, que é uma intuição de tipo instintivo, que consiste em conhecer, a partir do interior do ser que intui, um objecto exterior mediante uma espécie de simpatia. Esta intuição, e ao contrário do que acontece com as intuições empírica e racional, opõe-se radicalmente à marcha discursiva.

“Chamamos aqui intuição à simpatia através da qual nos transportamos ao interior de um objecto para coincidir com o que ele tem de único e consequentemente inexprimível.” — Henri Bergson, La Pensée et le Mouvant, VI, 1935


Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License