Facticidade

Em filosofia (existencialismo), a facticidade é o carácter daquilo que existe de maneira puramente contingente (ver contingência), e sem razão nem justificação.


Segundo Sartre, a liberdade encontra a sua raiz na ausência de fundamento ou de justificação da existência, na medida em que o homem constata o facto da sua própria presença no mundo – não encontrando neste facto nenhuma necessidade, nenhuma razão, e nenhum valor que possa ser dado a priori.

A angústia nasce (segundo Sartre) desta tomada de consciência da facticidade: a consciência é tomada pelo sentimento de inteira gratuitidade, pensa-se como estando aqui “para nada”, em uma permanente falta de sentido.

A consciência não se pode fundar recorrendo a uma origem, porque esta permanece opaca: por isso, a consciência só pode encarar o seu futuro: o projecto, o acto fundador, o objectivo que culmina numa acção cuja consciência individual justifica o próprio indivíduo, a sua existência e a dos outros.

Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License