Elohim

Os cananeus veneravam quatro tipos de divindades: as deusas femininas da fertilidade (ver religiões dos mistérios), como por exemplo Astarte, Anat ou Ashera; as divindades masculinas, os Baal, cuja simbologia1 aponta para a potência e fertilidade masculinas; os Els, divindades que viviam no céu e determinavam o tempo; e as divindades astrais que também estavam associadas à vegetação e serviam para calcular os ciclos desta.

As divindades “El” dos cananeus conquistados pelos judeus sob governo do rei David, não causavam grandes problemas à fé em Javé, porque os Els eram divindades que viviam ocultas no céu e não eram veneradas pelos cananeus em cultos orgiásticos e de conotação sexual — como acontecia com os cultos de Astarte, Ashera ou de Baal. A certa altura, Javé absorveu os Els, transformando-se em Javé Elohim2.

Elohim será traduzido na versão grega do Antigo Testamento como “Theós” (Deus), um conceito que não existe na língua hebraica — porque Javé é um nome próprio.


Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License