Complexidade irredutível

Complexidade irredutível

Em ciência bioquímica, um sistema irredutivelmente complexo é um único sistema composto de diversas partes em interacção que contribuem para o cumprimento da sua função principal e no qual a remoção de alguma das suas partes provocaria uma quebra no seu funcionamento global.


Um sistema irredutivelmente complexo é aquele em que se verificam simultaneamente as duas seguintes condições:

1/ a subtracção ou retirada de uma proteína faz com que a máquina molecular deixe de funcionar;

2/ e a estrutura bioquímica não dispõe de qualquer possibilidade de uma via evolutiva gradual.

O conceito e teoria da complexidade irredutível é refutável ou falsificável (ver princípio da falsificabilidade), e por isso são científicos. Para falsificar a teoria da complexidade irredutível basta demonstrar que a máquina molecular funciona apesar da perda de uma proteína; e/ou, que a sua estrutura evolutiva gradual é possível.

A razão por que a hipótese da complexidade irredutível é válida do ponto de vista lógico é a de que não se pretende basear a previsão de que uma determinada máquina molecular bioquímica é irredutivelmente complexa tendo como base a ausência de factos (evidências).

A teoria da complexidade irredutível não parte da falácia lógica ad Ignorantiam — como os darwinistas afirmam frequentemente — porque as conclusões a que a dita teoria chega são produto de investigação científica rigorosa e cuidada. O argumento ad Ignorantiam só se aplica em casos em que o objecto de dúvida não é investigado cientificamente.

Ver: Complexidade Irredutível, Michael Behe

Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License