civilização

Civilização

* Do latim civis, "cidadão"

Dois sentidos de "civilização":

1/ conjunto de fenómenos sociais de ordem religiosa, moral, estética ou técnica e científica, característicos de uma sociedade.

2/ estado de progresso dos costumes e conhecimentos, quer se trate de uma realidade ou de um ideal.


O primeiro sentido é verdadeiro, o segundo é ilusório porque o progresso não é uma lei da Natureza: basta uma geração de bárbaros para destruir uma civilização1.

Rousseau defendeu a ideia segundo a qual a civilização, entendida no sentido de afastamento do estado natural, não deve ser confundida com progresso.

A antropologia estruturalista de Lévi-Strauss seguiu esta tendência de Rousseau: hoje, sob a sua influência, emprega-se muitas vezes a palavra "cultura" no sentido de "civilização". Ou seja, segundo Lévi-Strauss, entendidas como conjuntos coerentes de regras, saberes e crenças, as civilizações (ou culturas) não podem ser hierarquizadas numa escala de progresso.

É comum a seguinte pergunta: ¿A civilização ocidental, longe de representar, ela só, um progresso universal indiscutível, não produziu, particularmente na II Guerra Mundial, actos de barbárie mais graves?

Porém, existe na pergunta um pressuposto errado, que é o de que, com a modernidade, possamos falar de “civilização ocidental” — porque uma civilização implica necessariamente uma religião universal transversal a toda a sociedade e que marca a cultura antropológica (não existe civilização sem religião), por um lado, e por outro lado, essa religião deve estar imbuída de valores éticos que promovam a dignidade ontológica do ser humano.


Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License