Antígona

Antígona

Na tragédia de Sófocles, Antígona é a mulher que desafia a autoridade do rei (o seu tio Creonte), enterrando o seu irmão Polinices, ao qual Creonte negara sepultura.

Ela representa a lei natural face à lei civil: pode-se interpretar a personagem de Antígona do ponto de vista do conflito entre a consciência moral, individual, por um lado, e a autoridade política, por outro lado.

Para Hegel, Antígona é a afirmação do privado – a família, a relação com o seu irmão – contra o Estado.


A ler: A lei de Antígona, contra os excessos do Direito Positivo

Editado por (OBraga)

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License